Buscar
  • Sistema do Perito

Doxxing, qualquer um pode ser vítima


O doxxing pode ocorrer de diversas formas e com vários níveis de risco para suas vítimas.


Mas, afinal, o que é doxxing?


O termo deriva da abreviação para a palavra documento, “dox” e surgiu algumas décadas atrás nas comunidades de hackers.


Hoje, é entendida como uma publicação hostil ou vingativa de informações privadas, sem que haja o devido consentimento. Os doxers perquisam, compilam e publicam dados como nome completo, números de documentos, dados bancários, endereço, fotografias, informações embaraçosas e outras informações privadas de uma pessoa.


Muitos doxers apenas divulgam e espalham as informações pessoais de suas vítimas. Assediadores, de posse destas informações, podem usá-las para intimidação, suborno, chantagem, estelionato, entre outros crimes.


Como falamos acima, o nível de ameaça do doxxing depende do tipo de informação que foi divulgada e qual foi o resultado do acesso de pessoas mal-intencionadas a essa informação.


O que se sabe é que o objetivo da maioria dos doxers é embaraçar, mas sabemos que a informação pode ser usada por terceiros de forma a comprometer a segurança, integridade física e psicológica das vítimas.


O que fazer para se proteger?


A maioria dos doxers usa pseudônimos, com IPs de identificação falsos e provedores alocados em países com pouca ou nenhuma legislação contra cibercrimes. Isso dificulta qualquer ação legal. Mas existem medidas que podem ser tomadas:


- Processo por difamação: se o doxer usou informações pessoais para prejudicar a sua reputação, é possível mover um processo civil contra ele. Porém, é preciso identificar o doxer e provar que as declarações contra você são falsas. É possível, também, uma ação de invasão de privacidade;


- Processo criminal: se existe uma ameaça credível de dano a você ou à sua família, vá a polícia, faça um Boletim de Ocorrência, em alguns casos é possível acusar o doxer de perseguição, assédio ou cyberbullying. Você pode solicitar uma ordem de restrição contra o malfeitor, novamente, se você conseguir identificá-lo. E se houve acesso indevido às suas contas bancárias, o crime pode ser considerado como roubo e/ou estelionato.


Outras medidas cabíveis:


O grau de ameaça sofrido é que deve ditar a forma como você vai agir. Por exemplo, se as informações divulgadas são “apenas” embaraçosas, e não há risco de danos físicos, você pode apenas bloquear o doxer.


A maioria das pessoas que comete este tipo de bullying quer atenção, você “deixar para lá” pode esfriar essa ânsia.


Porém, se as informações divulgadas tiverem um cunho mais sensível, ou houver alguma ameaça implícita e possível dano físico e moral, é preciso, sim, medidas mais sérias.


O importante, neste momento, é se documentar, faça capturas de tela, download de página, grave o doxxing, incluindo a informação de data, hora e a URL da mensagem ou do site. Essas informações podem auxiliar na localização e identificação dos responsáveis. Este é um passo importante, mesmo que não haja uma ameaça latente no momento.


E lembre-se de sempre manter suas informações pessoais offline.


Existem alguns casos em que é necessário troca de senhas e cartões de banco, número de telefone, exclusão de perfis em redes sociais, permanecer um período desconectado, para a sua própria proteção.


O perito neste cenário:


A perícia computacional, nestes casos, é quem auxilia na determinação se houve ou não o crime, e de que forma ele ocorreu.


É este perito quem pode auxiliar na identificação do agressor e sua localização.


E nós, do Sistema do Perito, é quem auxiliamos você a manter o seu trabalho sempre organizado e em perfeito andamento. Nossa ferramenta te informa todas as movimentações dos processos, além de manter todas as informações relevantes para o seu laudo em um único local, que pode ser a palma da sua mão. Acesse nosso site e veja o que mais podemos fazer por você!


30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo