Buscar
  • Sistema do Perito

O que são a auditoria e a perícia na segurança do trabalho?



Empresas preocupadas com o bem-estar e saúde de seus funcionários são mais eficientes e produtivas. A fim de atingir esse objetivo, é preciso reforçar a regularidade de auditorias e ter atenção redobrada na perícia na segurança do trabalho.


Tais medidas podem evitar acidentes no trabalho, desencadeamento de doenças ocupacionais e uma série de ocorrências capazes de afetar o desempenho do negócio e clima organizacional. Ou seja, tanto as auditorias quanto as perícias são fundamentais para o sucesso da empresa.


Como compreender as ações de cada um desses processos e transmitir a importância deles para os maiores interessados? Trazemos informações de maneira didática e simples. Confira.


Comparativo entre auditoria e perícia na segurança do trabalho


A auditoria tem um caráter mais preventivo, enquanto a perícia possui uma abordagem mais investigativa. Mas além dessa diferença, existem outros pontos particulares de cada uma. Veja a seguir.


Auditorias na segurança do trabalho

A auditoria pode ser realizada por uma equipe interna da empresa ou profissionais externos especializados, tudo depende do seu escopo. A adequação de uma infraestrutura, setor e equipe para obter uma nova certificação, por exemplo, demanda a realização de uma auditoria e pode ter funcionários internos e especialistas contratados integrando o time responsável por sua execução.

Entre suas etapas estão:

  • pré-auditoria, onde é feito o planejamento, definição de objetivos, calendário de execução das etapas do processo, responsabilidades de cada membro da equipe de auditores etc;

  • reunião de abertura;

  • visita às instalações da empresa;

  • condução das auditorias;

  • reuniões periódicas entre os auditores e responsáveis pela empresa;

  • encerramento;

  • entrega de relatório final; e

  • avaliação da efetividade das ações corretivas.

Perícia na segurança do trabalho

As perícias são realizadas por profissionais externos à empresa e têm como objetivo fazer a análise de reclamações trabalhistas ou a investigação de acidentes de trabalho considerados graves. Os empregadores são obrigados a cooperarem com as perícias, pois, do contrário, podem ser ter que pagar integralmente os valores reclamados na Justiça, ou, em casos de acidentes, serem interditados parcial ou totalmente.

No caso das perícias, elas são conduzidas de maneira personalizada, ou seja, de acordo com o que o processo que a desencadeou estiver solicitando. Suas etapas contemplam, normalmente:

  • notificação da empresa;

  • levantamento de campo, onde o perito faz a pesquisa de todos os elementos relacionados ao objetivo da perícia; e

  • elaboração do laudo, onde o parecer do perito é descrito.

Se a reclamação gira em torno da falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) em setores de uma fábrica, por exemplo, esse será o foco da perícia, assim como o tempo de execução e as condições de trabalho em câmeras de congelamento na indústria automotiva.


Atuação do assistente perito

As formações como engenheiro de segurança do trabalho e técnico de segurança são as mais comumente aceitas para o exercício da função de assistente perito, assim como os médicos do trabalho são os mais recomendados para perícias médicas.


Para que executem suas funções, é determinante que tenham grande conhecimento do escopo da perícia e tenham o controle total de todas as informações e processos envolvidos. Por esse motivo, aqueles que utilizam sistemas de gestão especializados em administração de perícias e auditorias têm resultados muito mais satisfatórios.


Entre os conhecimentos que precisam dominar estão a identificação de situações de insalubridade, periculosidade e técnicas de elaboração e impugnação de laudos.

Tanto a perícia na segurança do trabalho quanto a auditoria exigem um grande controle de informações como levantamento de dados, pesquisa de regulamentações, leis, normas e outras referências que regem a forma como as empresas devem construir sua estrutura e processos. Além disso, as etapas precisam ser coordenadas com os responsáveis dentro dos prazos previamente determinados.


Pela leitura do texto, é possível perceber se tratar de processos que exigem grande controle do profissional, não é mesmo? Em sua opinião, quais deles são os mais difíceis de administrar? Compartilhe com a gente aqui nos comentários!

31 visualizações0 comentário